CoDAS
https://www.codas.org.br/article/doi/10.1590/2317-1782/20212020439
CoDAS
Artigo Original

Segmental acquisition of Brazilian Portuguese: onset simple, complex and coda

Aquisição segmental do Português Brasileiro: onset simples, complexo e coda

Marizete Ilha Ceron; Simone Nicolini de Simoni; Gabriel Agustín Urrutia Urrutia; Márcia Keske-Soares

Downloads: 0
Views: 187

Abstract

Purpose: To present and analyze the acquisition segmental curve of Brazilian Portuguese in simple and complex onset position and coda position. Methods: 857 children with typical phonological acquisition participated in it, aged between 3:0 and 8:11, divided into age groups every 6 months. Participants were assessed using INFONO phonological assessment software. After analyzing the results, acquisition curves were drawn up for the segments analyzed in the different structures (simple and complex onset position and coda position). Results: It was noted that, in simple onset position, some segments were acquired before 3:0 (stops, nasal and fricative, /f, v, s, z/. The /ʃ/ and /l/ segments were acquired at 3:0, /ʒ/ and /x/ at 3:6, /ʎ/ at 4:0, /r/ at 4:6; in coda position /N/ and /L/ were acquired before of 3:0, /S/ at 3:6 and /r/ at 4:6; in complex onset position, the structures composed by Fricative + /r/ and Stop + /r/ were acquired at 5:0, Stop + /l/ at 5:6 and Fricative + /l/ at 6:0. Conclusion: Analyzing the acquisition curve is essential, as it provides a reference on the age of acquisition of segments in different syllabic structures. The acquisition curve contributes to the early identification of delays in phonological acquisition process enabling a timely referral for speech therapy intervention

Keywords

Speech; Phonological Acquisition; Children Language; Children; Phonology

Resumo

Objetivo: Apresentar e analisar a curva de aquisição segmental do Português Brasileiro em onset simples, complexo e coda. Método: Participaram 857 crianças com aquisição fonológica típica, com idades entre 3:0 e 8:11, divididos em faixas etárias de 6 em 6 meses. Os participantes foram avaliados, por meio do software INFONO de avaliação fonológica. Após a análise dos resultados foram elaboradas curvas de aquisição dos segmentos analisados nas diferentes estruturas (onset simples, complexo e coda). Resultados: Observou-se que, em onset simples, alguns segmentos estavam adquiridos antes dos 3:0 (plosivas, nasais e fricativas /f, v, s, z/). Os segmentos /ʃ/ e /l/ foram adquiridos aos 3:0, /ʒ/ e /x/ aos 3:6, /ʎ/ aos 4:0, /ɾ/ aos 4:6; em coda, /N/ e /L/ foram adquiridos antes dos 3:0, /S/ aos 3:6 e /ɾ/ aos 4:6; em onset complexo, as estruturas compostas por Fricativa+/ɾ/ e Plosiva+/ɾ/ foram adquiridas aos 5:0, Plosiva+/l/ aos 5:6 e Fricativa + /l/ aos 6:0. Conclusão: Analisar a curva de aquisição é fundamental, pois fornece referência sobre a idade de aquisição dos segmentos nas diferentes estruturas silábicas. A curva de aquisição contribui para a identificação precoce de atrasos no processo de aquisição fonológica possibilitando um encaminhamento oportuno para a intervenção fonoaudiológica.

Referências

1. Ceron MI, Gubiani MB, Oliveira CRD, Gubiani MB, Keske-Soares M. Ocorrência do desvio fonológico e de processos fonológicos em aquisição fonológica típica e atípica. CoDAS. 2017;29(3):e20150306. http://dx.doi. org/10.1590/2317-1782/20172015306. PMid:28492716.

2. Martins RMF, Mariano LF. Aquisição fonológica do português: um estudo longitudinal. Rev GEL. 2020;17(2):148-69. http://dx.doi.org/10.21165/gel. v17i2.2742.

3. Ceron MI, Gubiani MB, Oliveira CRD, Keske-Soares M. Factors influencing consonant acquisition in Brazilian Portuguese–speaking children. J Speech Lang Hear Res. 2017;60(4):759-71. http://dx.doi. org/10.1044/2016_JSLHR-S-15-0208. PMid:28306754.

4. Soares MEDC, Payão LMDC, Oliveira M Jr. Análise dos processos fonológicos na aquisição do onset complexo em crianças com desenvolvimento fonológico típico. Rev CEFAC. 2019;21(1):e11118. http://dx.doi.org/10.1590/1982- 0216/201921111118.

5. van Haaften L, Diepeveen S, van den Engel-Hoek L, Swart B, Maassen B. Speech sound development in typically developing 2-7-year-old Dutchspeaking children: a normative cross-sectional study. Int J Lang Commun Disord. 2020;55(6):971-87. http://dx.doi.org/10.1111/1460-6984.12575. PMid:33111376.

6. Tresoldi M, Barillari MR, Ambrogi F, Sai E, Barillari U, Tozzi E, et al. Normative and validation data of an articulation test for Italian-speaking children. Int J Pediatr Otorhinolaryngol. 2018;110:81-6. http://dx.doi. org/10.1016/j.ijporl.2018.05.002. PMid:29859594.

7. Mezzomo CL, Vargas DZ, Cuti LC, Lopes SG. As variáveis intervenientes na produção do onset complexo mediante uma análise silábica. Rev CEFAC. 2013;15(5):1247-58. http://dx.doi.org/10.1590/S1516-18462012005000106.

8. Correia LA. O desenvolvimento da fonologia infantil: a aquisição de onsets complexos [dissertação]. Fortaleza: Universidade Estadual do Ceará; 2012.

9. Oliveira C, Mezzomo CL, Freitas G, Lamprecht RR. Cronologia da aquisição dos segmentos e das estruturas silábicas. In: Lamprecht RR, editor. Aquisição Fonológica do Português: perfil de desenvolvimento e subsídios para terapia. Porto Alegre: Artmed; 2004. p. 167-76.

10. Ferrante C, van Borsel J, Pereira MMB. Aquisição fonológica de crianças de classe sócio econômica alta. Rev CEFAC. 2008;10(4):452-60. http:// dx.doi.org/10.1590/S1516-18462008000400005.

11. Silva MK, Ferrante C, Borsel JV, Pereira MMB. Aquisição fonológica do Português Brasileiro em crianças do Rio de Janeiro. J Soc Bras Fonoaudiol. 2012;24(3):248-54. http://dx.doi.org/10.1590/S2179-64912012000300010. PMid:23128173.

12. Rosal AGC, Cordeiro AAA, Queiroga BAM. Consciência fonológica e o desenvolvimento do sistema fonológico em crianças de escolas públicas e particulares. Rev CEFAC. 2013;15(4):837-46. http://dx.doi.org/10.1590/ S1516-18462013000400012.

13. Baia MFA. A variabilidade inter e intra-sujeito no desenvolvimento fonológico de crianças gêmeas e não gêmeas. Estudos Linguísticos. 2017;46(2):493-504. http://dx.doi.org/10.21165/el.v46i2.1748.

14. Wertzner HF. Estudo da aquisição dos sistema fonológico: o uso de processos fonológicos em crianças de três aos sete anos. Pró-Fono. 1995;79(1):21-6.

15. Wertzner HF. Aquisição da articulação: um estudo em crianças dos três aos sete anos. Estud Psicol. 1994;11(1-2):11-21.

16. McLeod S, Verdon S. A review of 30 speech assessments in 19 languages other than english. Am J Speech Lang Pathol. 2014;23(4):1-16. http:// dx.doi.org/10.1044/2014_AJSLP-13-0066. PMid:24700105.

17. Kirk C, Vigeland L. A Psychometric Review of Norm-Referenced Tests Used to Assess Phonological Error Patterns. Lang Speech Hear Serv Sch. 2014;45(4):365-77. http://dx.doi.org/10.1044/2014_LSHSS-13-0053. PMid:25091265.

18. Friberg JC. Considerations for test selection: how do validity and reliability impact diagnostic decisions? Child Lang Teach Ther. 2010;26(1):77-92. http://dx.doi.org/10.1177/0265659009349972.

19. Ceron MI, Gubiani MB, Oliveira CRD, Keske-Soares M. Instrumento de avaliação fonológica (INFONO): estudo piloto. CoDAS. 2020;32(4):e20190105. http://dx.doi.org/10.1590/2317-1782/20202019105. PMid:32756856.

20. Bernhardt B. Developmental implications of nonlinear phonological theory. Clin Linguist Phon. 1992;6(4):259-81. http://dx.doi.org/10.3109/02699209208985536. PMid:20670203.

21. Ribeiro AO, Horta MA. À conquista das palavras por crianças de 4 anos: uma etapa no desenvolvimento da consciência fonológica. Investig Prat. 2019;9(1):69-80.

22. Giacchini V, Mota HB, Mezzomo CL. Variáveis relevantes no processo terapêutico para a aquisição do onset complexo na fala de crianças com desvio fonológico. Rev CEFAC. 2015;17(1, Supl. 1):17-26. http://dx.doi. org/10.1590/s1516-18462012005000049.

23. Mezzomo CL, Lopes SG, Abelin CM, Oppitz SJ. Aquisição da sílaba consoante vogal (CV) por crianças com desenvolvimento fonológico típico e atípico. Rev CEFAC. 2015;17(1, Supl. 1):60-71. http://dx.doi. org/10.1590/1982-0216201517s14713.

24. Ceron MI, Gubiani MB, Oliveira CRD, Keske-Soares M. Normative Features of Phoneme Acquisition in Brazilian Portuguese. Folia Phoniatr Logop. 2019;11(1):1-14. PMid:31185467.

25. Wiethan FM, Mota HB. Ambientes linguísticos para a produção das fricativas /z/, /ʃ/ e /Ʒ/: variabilidades na aquisição fonológica de seis sujeitos. Rev CEFAC. 2013;15(1):179-87. http://dx.doi.org/10.1590/S1516-18462011005000111

26. Wertzner HF. Fonologia. In: Andrade CRF, Befi-Lopes DM, Fernandes FDM, Wertzner HF, editores. ABFW: teste de linguagem infantil nas áreas de fonologia, vocabulário, fluência e pragmática. Carapicuíba: Pró-Fono; 2000.

27. Oliveira AM, Berti LC. Aquisição fonológica típica e atípica do padrão silábico CCV: dados acústicos e articulatórios. Alfa. 2018;62(3):591-612. http://dx.doi.org/10.1590/1981-5794-1811-7.

28. Clausen MC, Fox-Boyer A. Phonological development of Danishspeaking children: a normative cross-sectional study. Clin Linguist Phon. 2017;31(6):440-58. http://dx.doi.org/10.1080/02699206.2017.1308014. PMid:28430531.

621fc31fa9539537c1704f62 codas Articles

CoDAS

Share this page
Page Sections